Apresentação

GÉNERO, MEDIA E ESPAÇO PÚBLICO 2015

Na medida em que se constitui como matéria de informação e debate, a presença do tema da igualdade de género na esfera pública permite implicar mulheres e homens na consideração da sua importância e, desse modo, contribuir para legitimar as decisões políticas que as/os envolvem. Se aceitarmos que uma democracia sã precisa de cidadãs/os informadas/os a partir de um espaço público ativo, temos de ter em conta que, de entre as instituições que contribuem para a formação desse espaço público, os meios de comunicação têm possivelmente a função mais fundamental. Eles são as suas instituições essenciais, desempenhando um papel fundamental na democratização da vida em comum em geral. Nesse sentido, podem também ser agentes cruciais na promoção da igualdade entre homens e mulheres.

Como um dos agentes principais do espaço público, os media, no entanto, não se limitam a transmitir as questões impulsionadas pelos atores da vida coletiva, falando antes pela sua própria voz e exercendo um forte potencial de influir na agenda pública. Por outro lado, as distopias das suas lógicas – nomeadamente nas construções discursivas e imagéticas das mulheres em particular e das desigualdades de género em geral, na visibilidade e opacidade que conferem aos temas, ou no modo como põem em jogo interacções desiguais – constituem áreas de preocupação que precisam de ser investigadas.

O projeto sediado no CIMJ “Género e produção noticiosa: uma análise da produção e das organizações noticiosas em termos de género”, financiado pela FCT e realizado em 2013-2015, questionou o modo como o género afeta não apenas as/os jornalistas, mas as suas experiências, entendimentos e compromissos que moldam a produção jornalística no dia-a-dia. No pré-congresso, serão apresentados alguns resultados dessa investigação e contamos com a presença de investigadoras internacionais com reconhecido trabalho neste campo. Além disso, abre-se espaço à investigação mais ampla, realizada por investigadoras/es de diferentes nacionalidades que pretendam partilhá-la com a comunidade científica desta área. O pré-congresso da Sociedade Portuguesa de Comunicação pretende, assim, constituir-se como um espaço crítico para pensar estas e outras questões que envolvem a mediação dos temas de género.

Anúncios