Rádio e Meios Sonoros

Apesar de as transformações sociais operadas nas últimas décadas estarem de certo modo ligadas à consolidação de uma cultura profundamente visual, é ainda numa dimensão acústica que se fundam muitos dos gestos e comportamentos do quotidiano. Todos os dispositivos de comunicação têm sons característicos que, embora de forma mais discreta do que a imagem, agenciam as rotinas e definem os ambientes que habitamos social e culturalmente. A modernidade, diz David Hendy, tornou a vida ruidosa. No entanto, contrariando o silêncio, a sociedade contemporânea tem ao mesmo tempo contribuído para uma certa desvalorização desta linguagem natural.

No quadro do tema proposto para o IX Congresso da Sopcom, o GT de Rádio e Meios Sonoros convida à submissão de trabalhos que problematizem o papel da rádio nos processos de transformação social em curso e que reflitam sobre as propriedades da comunicação sonora num tempo de dominante multimediática. Serão, portanto, bem acolhidas propostas centradas tanto no meio rádio em si mesmo como no som enquanto linguagem específica. Serão, por isso, apropriados a este GT trabalhos que versem sobre os seguintes tópicos: história da rádio, regulação do setor da rádio, produções radiofónicas (jornalísticas, de entretenimento, de humor…), publicidade sonora, modelos de negócio e de produção (rádios locais, rádios comunitárias, webrádio…), tecnologia e plataformas digitais, serviço público de rádio, linguagem sonora, arte sonora, estética e inovação sonora, som e literacia.

Anúncios